Viver no campo – Novos Rurais

E VOCÊ… AINDA VIVE NAS GRANDES CIDADES?

Novos Rurais é o nome criado para designar uma nova classe de pessoas que, tendo nascido na cidade, optam por viver no campo. Geralmente são amantes do campo. Tendem a aproveitar o melhor de ambos os mundos e “levam” algum do conforto que têm na cidade para o campo.

Junte-se a nós!
Movimento Novos Rurais
http://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

Algarve Natural


Surpresas e encantos de um universo por descobrir.

Na multiplicidade algarvia encontram-se espaços em que a Natureza se encontra ainda em estado puro.

Nos parques naturais, nos sítios classificados, ou nos locais de interesse ecológico, sobrevivem espécies, da fauna e da flora, que fora destas áreas estão já em vias de extinção. Outras há que, graças a características muito próprias da região, só aqui se desenvolveram, constituindo património local.

É bom viver no Algarve!
http://www.facebook.com/algarve.pt

A construção em terra


Ainda hoje, são inúmeros os montes com construções em taipa, muitos deles abandonados à espera de renovação.

Em Portugal, é essencialmente no Baixo Alentejo que a construção em terra tem maior expressão. A estrutura geológica, as características do solo, a herança cultural de povos com tradição em construções de terra, o clima seco e o ambiente essencialmente rural são factores fundamentais para potenciar o desenvolvimento da construção em terra.

EcoCasa Portuguesa
http://www.facebook.com/ecocasaportuguesa

Ponte de Tôr – Algarve

A ponte de Tôr foi outrora construída na antiga via romana secundária que ligava Milreu, em Estoi a Salir (Loulé). A data da sua construção tem derivado diversas opiniões e não reúne consenso, sendo que alguns historiados referem-na como originária do período de ocupação romana e outros originária do período de ocupação islâmica.

Situada num ambiente pitoresco, de grande riqueza paisagística, a Ponte de Tôr é formada por cinco arcos, o último reconstruído no período medieval, acrescentando-se ao monumento um brasão português.
A ponte tem no centro 3,47 metros de largura, com o piso do tabuleiro alcatroado, debaixo do qual existe um outro piso de paralelepípedos, estando assente sobre muros de suporte característicos das pontes romanas, embora estes contem com uma dimensão maior que a generalidade, provavelmente devido ao facto de esta zona estar frequentemente sujeita a grandes cheias.
A Ponte de Tôr está classificada como Imóvel de Interesse Concelhio.

É bom viver no Algarve.
http://www.facebook.com/algarve.pt

A agricultura está de volta

A agricultura é uma questão de segurança nacional. Vítimas das reformas da PAC, nos últimos 20 anos temos vindo a perder cultura de território, que demorámos centenas de anos a adquirir. Temos gradualmente abandonado a agricultura e vimos as nossas reservas estratégicas reduzidas a números assustadores.
Assumimos uma vocação florestal, que foi importante para a economia a curto prazo, mas devastadora para o território a médio/longo prazo, como tem demonstrado os últimos anos, em que vimos boa parte do território nacional a arder e os solos, já de si pobres, a empobrecerem ainda mais.
A boa notícia é que a agricultura está de volta. Os novos agricultores são pessoas que voltam a ter uma grande cultura de território e visão a longo prazo, da importância da agricultura para o seu país e para o seu legado.

Um sonho holandês no Alandroal

Há um novo turismo rural no Alandroal. Criado por um casal holandês, o Monte do Peral, em Montejuntos, abriu portas esta semana.

“Nós realizámos aqui o nosso sonho. Viver num clima agradável, rodeado por uma cultura e paisagem fantástica. Encontrámos esta herdade com azinheiras e construímos o Monte do Peral.” É assim que resumem a experiência Marianne van der Poel e Jos Dams, um casal de holandeses que acaba de inaugurar o Monte do Peral, um empreendimento de turismo rural, junto à aldeia de Montejuntos, no concelho do Alandroal, Évora.

Novos Rurais – E VOCÊ… AINDA VIVE NA CIDADE?

Novos Rurais é o nome criado para designar uma nova classe de pessoas que, tendo nascido na cidade, optam por viver no campo. Geralmente são amantes do campo. Tendem a aproveitar o melhor de ambos os mundos e “levam” algum do conforto que têm na cidade para o campo.