Comer bem em Lisboa, Cascais e Alcabideche

Ano passado, a revista Monocle elegeu Lisboa como a 25ª melhor cidade no mundo para morar, muito por conta dos baixos índices de violência. Se fosse feito um ranking dos melhores lugares para comer bem, com preços razoáveis, tenho certeza de que a cidade ainda subiria algumas posições.

O país está em crise econômica. Por isso, comparado a outros destinos da Europa, hospedar-se bem e comer nos melhores restaurantes sai muito mais barato do que no Rio ou em São Paulo, por exemplo.

Além disso, o conceito de comer bem aqui pode realmente significar entrar em qualquer restaurante que pareça “mais simpático” ou entrar mesmo pelo cheiro. Dificilmente a comida será ruim. Por isso, optei por não ir a nenhum dos restaurantes mais badalados ou considerados “o melhor de Lisboa”. Tavares, Bica do Sapato, Eleven, Solar do Presunto… não entraram na lista dessa vez.  Procurei visitar os tradicionais, onde as famílias portuguesas vão no almoço do domingo ou para comemorar a festa de aniversário.

Abaixo vou dar indicações de 3 lugares para comer em Lisboa e seus arredores (a uma distância de 40 minutos de carro) : um clássico da cidade, o Farta Brutos; o mais elogiado restaurante na praia em Cascais, o Porto de Santa Maria; e uma adega típica, daquelas com mesas gigantes para ir com a família, em Alcabideche, o Casa do Victor.

1) O primeiro é o Farta Brutos. Fica próximo ao largo do Chiado, na região bem boêmia da cidade. Lugar pequenino, com poucas mesas. Conhecido por ser o restaurante favorito de José Saramago e por suas sardinhas. Existe na cidade há algumas décadas e seu proprietário é uma figura.

Em todas as mesas de brasileiros, ele vai contar que seu pai mudou-se para o Brasil, e ele nunca mais teve notícias. Um dia, resolveu vir para o Rio e procurar pelo pai. Depois de pagar algumas rodadas de cachaça em um bar, descobriu que ele morava em uma favela e tinha tido mais 20 filhos com 8 mulheres diferentes. É só dar corda para a conversa que o assunto vai rendendo, cada vez mais inverossímel. Mas muito divertido.

Fora a boa conversa, a comida também é ótima:

Comi lá pataniscas divinas e crocantes. Pataniscas são frituras com lascas de bacalhau. Elas podem ser em formato de bolinhos como esse do Farta Brutos. Outras vezes são como salgadinhos maiores e até em forma de tempurá. Mas são sempre deliciosas.

E, claro, as sardinhas empanadas e fritas. Perfeitas com cerveja gelada e sem culpa.

Com os dois pratos e uma bebida, a conta sai em torno de 40 euros e dá tranquilamente para duas pessoas.

2) Assim como a Espanha, Portugal é conhecido por seus frutos do mar. E tem coisas que, hoje, só é possível comer por lá, como os percebes e as sapateiras, por exemplo. Se você quer comer bem peixes ou frutos do mar, sempre vai receber indicação de um restaurante: o Porto de Santa Maria, que fica na beira da praia, em Cascais.

Essa é a vista que se tem de dentro do restaurante, sentado na mesa.

O Porto de Santa Maria tem um dos maiores menus de peixes e frutos do mar de Portugal. E é também um dos restaurantes mais caros.

Você chega e é recebido com uma mesa com salgados (pataniscas de bacalhau e “rissois” de queijo) e uma divina ricota com pães.

Como eu estava com desejo, pedi uma sapateira para começar. Você entra no restaurante e dá de cara com elas ainda vivas, no aquário. Aí são preparadas e servidas fresquíssimas, junto com um quebrador de cascas, para ir descobrindo as carnes adocicadas. As das patinhas são as melhores.

Depois, pedimos um arroz de mariscos, que na verdade não tem mariscos, mas camarões e lagostas em um molho de tomate. Delicioso!

Para terminar, a sobremesa: toucinho do céu.

O almoço para duas pessoas com vinho saiu por 110 euros.

3) Pertinho do Porto de Santa Maria, em Alcabideche, no caminho para Sintra, fica a Casa do Victor. É uma versão portuguesa da cantina italiana, com pratos típicos e comidas e vinhos pendurados no teto. Alcabideche é tipo um bairro, em Estoril, e tem uma praça, com o restaurante e só.

Como em muitos restaurantes de Portugal, você chega e é recebido com um prato de camarões. Frios. Eles foram previamente cozidos e agora são servidos quase gelados junto com uma maionese.

E também um prato de croquete de carne.

Depois, como prato principal, pedimos uma cataplana, prato típico do Algarve, sul de Portugal, que é um grande ensopado de peixe, camarão, lagosta e mexilhões, feito numa panela específica. É servido junto com arroz.

O almoço para duas pessoas, com vinho, sai em torno de 40 euros.

Farta Brutos: travessa da Espera, 20, Lisboa, tel. 213 426756.
Porto de Santa Maria: estrada do Guincho, 2750-642, Cascais. Tel. 21 4870240.
Casa do Victor: Largo 5 de Outubro, 2, Alcabideche, Estoril. Tel. 21 4690305.

Autor: Alessandra Blanco

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s